quatro poemas curtos

Quadrinhas

I

João vê o luar da sua janela
Carlão quer casar com moço correto
Marcão toma chá e logo revela
Feliz quem chegar cedo e desperto.

II

Naquele amor único inteiro
dois homens se lambuzam
incompatíveis
perdidamente vingando-se do bárbaro mundo

 
III

Em qualquer nau vou partir sem querer
seja o dia branco seja a chuva branca
em qualquer tempo cruel hei de ter
coração brando emoção mansa

 
Poema sem nome

A manhã branca eu contemplei
quando o vagão reencontrou
a desatenta cidade cansada
um sábado entre tantos quaisquer
quantos instantes olhando incerto
insone perplexo cansado reflexo
a branca manhã contemplando